Viajar sem ser rico! É possível?

Esse texto é para quem já quis pesquisar no Google: COMO VIAJAR O MUNDO SE NÃO SOU RICO? hahahahahah Graças a @Deus sim, é possível! Dá super para viajar sem gastar uma fortuna até porque né? Não tá fácil pra ninguém amigos.

Tentei reunir aqui algumas coisas que hoje em dia eu faço para tentar economizar nas viagens e não falir sempre que quero conhecer um novo lugar. Então bora para o segundo texto aqui do blog ❤

Primeiro eu preciso dizer que nem sempre foi assim, tá? Eu já fiz muita #turistagem e gastei muito dinheiro desnecessário por aí. Mas com as experiências que a gente vai tendo com o passar das viagens, vamos aprendendo como poupar, tirar daqui para colocar ali, empreender ideias para conseguir viajar mais e como nos organizar melhor (acredite, metade é organização, a outra é criatividade).

#1 PLANEJAMENTO

Pode parecer chato, mas planejamento é muito importante para quem quer gastar menos nas viagens. Afinal, se você decidir hoje que quer ir para a Europa mês que vem provavelmente vai gastar um rio de dinheiro em uma passagem e vai fazer um arrombo na sua conta para comprar euros, ainda corre o risco de não achar hospedagem boa, barata e bem localizada para a época que quer.

Além disso, ter um prazo para guardar o dinheiro faz toda a diferença na hora do bolso sentir o valor da viagem. Você pode até não conseguir poupar tanto como gostaria, mas vai ter um prazinho mais legal para juntar a grana para ir (da até para pensar em formas empreendedoras de juntar dinheiro nesse tempo, como vender suas roupas que não usa mais em brechós ou fazer uns bicos em algo que você seja bom, por exemplo).

Ao se planejar, tente fazer um orçamento da sua viagem. Garanto que se você souber o quanto pode gastar POR DIA você conseguirá se controlar melhor nos gastos e não levar um susto quando chegar a fatura do cartão. Nesse planejamento não esqueça de incluir as refeições, transporte, entradas de passeios, dinheiro para compras (se quiser) e hospedagem.

Para ajudar nesse planejamento, hoje em dia é muito fácil encontrar nas redes sociais pessoas que já foram para o destino que você vai. Conversar com essas pessoas e pegar dicas é essencial para saber locais baratos para ficar, como usar o transporte público, restaurantes em conta, etc.

#2 DEFINA SUAS PRIORIDADES

Para fazer o orçamento você precisa ter muito claro o objetivo da sua viagem. Estou indo para conhecer lugares novos? Então meu foco é gastar com experiências e passeios. Estou indo comprar? Então vou separar um dinheiro bom para minhas compras. Não abro mão de um bom hotel? Então vou tentar comprar menos e gastar menos com comida para ficar em um hotel melhor. Quero conhecer os melhores restaurantes da cidade? Então já sei que preciso de pelo menos X reais por dia para comer. Enfim vai do seu gosto e das suas prioridades, mas para um mero mortal assalariado conseguir viajar sem falir, não da pra ficar num hotel 5 estrelas, almoçar e jantar em restaurantes chiques, fazer todos os passeios pagos e comprar mil coisas, infelizmente.

Eu mesma amo comer e experimentar comidas típicas dos lugares. Uma coisa que tento é fazer algumas refeições em casa/ hostel ou comer algo baratinho e rápido na rua e escolher apenas uma refeição para comer em restaurantes melhores, geralmente o almoço ou a janta.

Outro exemplo: na minha viagem ao Chile meu foco era total conhecer os lugares, então fiz vários passeios pagos (coisas que não era muito acostumada a fazer, sempre conhecia tudo por conta) e para compensar não comprei NADA (fui radical), nenhuma lembrancinha, roupa, make, nadinha mesmo lá.

 

#3 TENTE USAR DINHEIRO EM ESPÉCIE E NÃO O CARTÃO DE CRÉDITO

Maldito IOF, é só o que eu tenho a dizer hahahah Compras no exterior são taxadas com impostos e esse valor pode fazer uma grande diferença no final da conta toda. Trocar o dinheiro no aeroporto faz com que você pague uma taxa só na hora do câmbio (às vezes, bem às vezes as casas de câmbio nem cobram essa taxa) e só, já no cartão de crédito você paga uma porcentagem de mais ou menos 6% em toda a compra que faz.

Fora isso, na minha opinião, ter o dinheiro na mão faz com que você se controle bem mais para gastar. Na verdade isso é comprovado por estudos, ao usar o cartão você nem vê que está gastando, só vai passando e a bomba vem no final. Claro que é sempre bom ter as duas opções, o cartão e o cash, no caso de ser roubado, perder a carteira, molhar…não sei, sempre pode acontecer algum imprevisto no caminho e é bom prevenir para não estragar a viagem.

Sobre o câmbio, dica extra aqui: sempre troque um pouquinho de dinheiro no Brasil, se for deixar pra trocar no exterior, para não correr o risco de precisar de dinheiro ao chegar no outro país e não ter. Mesmo assim é bom dar uma pensada sobre trocar fora, o real em alguns países é bem desvalorizado e quem sabe não compensa trocar logo aqui. Vai doer ao trocar seu rico dinheirinho? Sim, vai doer, mas faz parte hahah.

#4 HOSPEDAGEM ALTERNATIVA

Se tem uma coisa que é caro na hora de viajar, além obviamente da passagem, é o hotel. Antigamente essa era a forma que eu viajava, reservava hotéis e pronto, agora sempre procuro algo alternativo e hotel é a minha última opção. Trouxe aqui algumas possibilidades:

– Preferir hostel a hotel: posso escrever um texto só sobre isso depois, pois as vantagens de ficar em um hostel são várias se você não ligar. Para quem nunca ficou ou ouviu falar, são opções mais baratinhas se comparadas aos hotéis, sem serviço de quarto, muitas vezes com quartos compartilhados, mais para jovens viajantes que não se importam com luxo e querem focar em experiências.

Claro que também existem hostels de todo o jeito, de todo preço, com todo tipo de estrutura, mas no geral da para conhecer muita gente massa do mundo inteiro e trocar já várias experiências sobre viagens. Além disso os hostels geralmente tem uma vibe muito descontraída e são bem menos sérios e formais do que os hotéis e os preços são super convidativos! Aqui abaixo vou deixar algumas fotos de hostels que já fiquei e amei!

Hostel El Viajero: Cartagena das Índias- Colômbia

Resultado de imagem para el viajero cartagena

Hostel La Florida: San Pedro de Atacama- Chile

Imagem relacionada

Aki Hostel: São Paulo- SP

Imagem relacionada

– Casa de amigos/ conhecidos: tem alguém que você conhece morando fora, fazendo intercâmbio ou algo assim? Dá para aproveitar, visitar o friend e conhecer um novo país. Eu fiz isso no Canadá e na Inglaterra e foi demais. Além de você passar um tempinho ótimo e super divertido com seu amigo, ainda vai conhecer um lugar novo pagando zero de hospedagem! Fora isso, o seu amigo pode te ajudar a passar uma época como um residente da cidade e não como #turistão, ele pode ter ótimas dicas de economias e lugares legais também. É sensacional, juro ❤ OBS: obrigada Germano Caires e Mariana Andion por terem sido ótimos anfitriões hahaha.

– Airbnb: se eu encontro os criadores desse aplicativo dos deuses eu dou um abraço, juro! Ô coisa abençoada esse tal de Airbnb, eu amo muito. Para quem não conhece, é um aplicativo que você pode encontrar locais inteiros (casas ou apês) ou somente quarto para ficar em quase todo o lugar desse mundão Ah, da para colocar sua casa para alugar também, se quiser! Cidades mais turísticas, capitais e etc da pra achar muito fácil e tem uns apês super legais com precinhos muito bons.

Em Santiago eu e o Murillo ficamos em um apê maravilhoso, muito bem localizado por cerca de R$ 120,00 por dia (e tinha muito mais em conta). Ou seja, ao dividirmos isso por nós dois saiu por preço de hostel. Se tivéssemos em três, teria saído mais barato ainda. E o legal é que da pra fazer comida no apê, lavar roupa…enfim, ótimo para quem gosta de privacidade e quer pagar menos. Tem sido minha opção número um para viajar ultimamente, sempre olho lá primeiro. Clique aqui para ir ao site do Airbnb 🙂

airbnb.jpg

Fora essas dicas, ainda da para fazer couchsurfing (dormir por aí nos sofás de almas boas que os disponibilizam para turistas) ou até trabalhar nos hotéis em troca de hospedagem, mas como eu nunca fiz nenhum dos dois não tenho muito o que dizer sobre. Com essas dicas de hospedagem alternativa aí de cima já consegui economizar demais em viagens. Juro que vale muito a pena entrar na vibe de viajante mais raíz hahaha é tipo um vício, não consigo mais voltar a ficar em hotéis chiques e comprar mil coisas quando viajo.

#5 TENTAR TODAS AS POSSIBILIDADES DE PASSAGENS

Aqui por favor, vamos tomar um pouco de cuidado. Se você não é muito acostumado a viajar pode se embaralhar nas conexões e acabar perdendo voos, dessa forma vai gastar mais dinheiro ainda e atrapalhar nosso plano de economizar. Aliás regras de ouro de quem quer economizar em viagens: nunca perder o voo ou pagar excesso de bagagem hahaah estão aí dois assaltos que você não precisa passar.

Se você já estiver mais confiante, da para comprar os trechos separados. Por exemplo: eu nunca compro de Campo Grande para o país que estou indo visitar, pois sempre (quase sempre né porque vai saber) da bem mais caro. Então eu compro CG – SP e SP- país que eu quero ir.Outra coisa, se quiser e estiver com tempo, da pra ir pra SP de busão. Acontece que se der ruim no voo CG – SP você tá meio lascado com o SP – país, pois um voo não tem a ver com o outro e você não vai conseguir remarcar de graça.

Outra coisa pra se ligar pelo amor de Deus: a quantidade de kilos de bagagem de um voo pra dentro do Brasil é diferente de um internacional. Se você comprar separado assim e quiser despachar uma mala, vai ter que pagar uns R$ 50 mais ou menos na mala. Geralmente o internacional te da direito a despachar uma (isso varia de acordo com a cia aérea), mas não interessa se você vai voar internacional depois, vai ter que pagar a bagagem no voo doméstico. Acreditem, as cias aéreas não fazem nada pra nos ajudar, muito pelo contrário rs.

Um exemplo internacional: já vi que para ir pro Canadá, se você pegar um voo para o Panamá e comprar depois para lá fica mais barato, enfim. Tente todas as gambiarras e se ligue nas promoções, da para economizar muito com elas. Alguns sites permitem que você coloque alarmes para ser avisado quando os preços do destino que você demonstrar interesse abaixarem e ainda comparam os preços nas cias aéreas (como o Skyscanner).

Use e abuse do Max Milhas (amo) e do 123 Milhas, são sites que por vezes tem passagens mais baratas pois fazem compra e venda de milhas aéreas e o bom é que avisam quando direto no site da cia aérea está mais em conta.

Ah, se você aprender a dormir em aeroportos ou passar longas horas neles, vai conseguir passagens mais baratas. Acredite, nem é tão ruim.

#6 SÓ PAGUE PELO QUE VOCÊ NÃO CONSEGUE FAZER SOZINHO

Na verdade eu aplico isso na minha vida toda! Se eu sei fazer, não vou pagar para alguém fazer pra mim. Nas viagens, qualquer passeio que eu consigo fazer sozinha eu não vou pagar para alguém me levar. Cara, é bizarro o número de passeios que você consegue chegar de transporte público e as agências cobram um absurdo para te levar.

Exemplo recente: Em Santiago eu e o Murillo queríamos conhecer uma das vinícolas mais antigas do Chile, chamada Undurraga. A agência que contatamos cobrava fucking R$ 200 pelo passeio e achamos um absurdo, já que era um passeio de poucas horas. Pesquisando, descobrimos que era possível pagar o metrô por uns R$ 3, um ônibus por mais ou menos R$ 15 e pagar R$ 50 para entrar na vinícola. Foi exatamente isso que fizemos e olha a quantidade de dinheiro que economizamos! Compramos mais dois vinhos cada um e não chegamos nem perto de gastar os R$ 200. Acredite, tem muita gente querendo se aproveitar de turistas inseguros que necessitam de agência para tudo.

EHNOE5244

Para aplicar essa dica vale uma boa pesquisa em blogs para saber o que da para fazer por conta no destino que você vai visitar e o que realmente precisa de agência.

 

DICAS EXTRAS E ALEATÓRIAS (a gente ama)

  • Se a cidade que você ficar tiver água potável, compre apenas uma garrafa e fique enchendo da torneira. Encha a noite e deixe gelando, assim de manhã estará ótima 🙂 se a água não for potável, compre um galão grande e deixe no seu hostel/ apê e vá completando as garrafinhas. Precisa nem comprar garrafinha lá, leva daqui hahaha.
  • Uma coisa meio maluca que sempre faço é levar uns snacks daqui do Brasil (levo minha mãe no mercado comigo para ela pagar hahahah), assim nem preciso comprar lá e tem uns lanchinhos para entre as refeições. OBS: não adianta encher a mala disso e pagar peso extra, hien? hahah
  • Veja o que da para fazer de graça no local. Tem muito passeio legal que não é necessário pagar para entrar.
  • Vários países oferecem cupons de descontos para turistas na internet ou em apps, vale a pena dar uma olhada antes de ir.
  • Procure comprar passagens de madrugada de dias aleatórios, sei lá tipo terça- feira, geralmente os preços abaixam.
  • Viajar no final/ começo do ano e em Julho sempre é mais caro, se tiver flexibilidade de agenda, procure viajar em baixa temporada.
  • Quando for de uma cidade para a outra, procure transporte de noite/ madrugada. Assim você não paga o hotel naquela noite 🙂
  • Pense se precisa mesmo comprar um chip e contratar um plano de internet do país, da para se virar bem com os wi-fi’s por aí e várias praças, shopping, restaurantes e locais públicos possuem wi-fi grátis.
  • Não compre guias de viagens, eles só pesam na mala e você tem praticamente tudo o que precisa na internet.
  • Tente não comer em aeroportos, pensa no roubo. Vai chegar a pagar R$ 15 em uma coxinha se bobear. Por isso é legal ter os snacks na bolsa.
  • Se ficar em algum lugar que tem café da manhã já aproveita e faz um lanchinho para mais tarde.
  • Leve seu comprovante de estudante, vários lugares tem meia entrada no exterior.
  • Dê uma olhadinha se não tem milhas bobeando no cartão para usar na compra de passagens e se seu cartão não te da direito de esperar na salinha VIP maravilhosa do aeroporto.
  • Peça dicas no seu hostel, eles sempre te uns rolês bons e baratos.
  • Abuse de andar a pé e dos transportes públicos. Taxis em locais turísticos tendem a ser extremamente caros e lembrem que se vocês chamarem um Uber vai cair no cartão de crédito com IOF.
  • Veja se na sua cidade alguém não quer trocar dólares ou euros com você. Às vezes algumas pessoas fazem isso por um valor melhor do que das casas de câmbio. Outra ideia é procurar grupos no facebook como “Brasileiros em Orlando” (só um exemplo) e ver se tem alguém lá disposto a fazer esse câmbio mais barato.
  • Se for para baladas da para fazer aquele esquenta massa no hostel/casa para não gastar muito com bebida na balada, pois sabemos que é um absurdo. Fique de olho pois em vários países é mais do que proibido beber na rua.

 

Pessoal, por último, SE PERMITA! Toda viagem pode ser uma experiência incrível de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal. Se desafiando você pode perceber que é bem mais forte do que pensava, se tornar mais adaptativo, criativo, aberto a coisas novas e perceber que passar uns perrengues às vezes é até legal e pode render boas histórias!

Se você curte viajar e ficar em spas, gastar em restaurantes caros, fazer muitas compras glamurosas, tem muito dinheiro para isso e está feliz assim, ótimo, pode ignorar tudo o que eu disse aqui. A ideia mesmo era mostrar que também da para viajar sem gastar uma fortuna e se divertir muito!

Espero que tenham gostado e comentem aqui mais dicas se tiverem, vamos trocar experiências 🙂

Beijo da Rê.cropped-viaja-blog-1.jpg

Anúncios

3 comentários sobre “Viajar sem ser rico! É possível?

Deixe uma resposta para Renata Ruiz Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s